Paróquia Bom Jesus

Palavrinha  Carinhosa do Padre!

Domingo de Páscoa de 2020

 

Meus Queridos filhos e filhas espirituais da Paróquia Bom Jesus. Fim da Quaresma.

 

Considero que foi a Quaresma mais histórica da minha Vida. Quaresma, temos que compreendê-la como um tempo precioso na Liturgia e na Vida dos Cristãos, porque nos prepara e nos conduz para celebrar a Páscoa como eixo central da Fé Cristã.

 

Ontem, estávamos de atenções voltadas para o Cristo Morto. E Hoje, nossas atenções se voltam para o Cristo Vivo. Ontem, éramos no Mundo uma Igreja reclusa honrando a Memória de Cristo coberto de sangue. E Hoje continuamos sendo uma Igreja de portas fechadas, mas que festeja o Cristo Vitorioso envolto na Glória da Ressurreição.

 

A Liturgia do Sábado Santo é única, revestida de tantos cânticos e de solenidade, de tanto simbolismo e de tanta riqueza litúrgica com o Círio aceso que nos acompanha presente no Altar até a Liturgia de Pentecostes.

 

Páscoa! Recordemos o quanto foi importante para o povo de Israel que passou por intermédio da Ação de Deus há uns 1800 anos Antes de Cristo, de um regime de escravidão para a liberdade, sendo conduzido para a Terra Prometida. É a primeira Páscoa que significa Passagem e a prefiguração da Páscoa Cristã. A nossa Páscoa Cristã de hoje é a oportunidade graciosa de reafirmar a Ressurreição do Senhor Jesus, mas, igualmente, de partirmos para ressuscitar uma série de sentimentos nestes tempos de Coronavírus, o indecente por excelência.

 

Vamos ressuscitar, minha Gente Iluminada, principalmente nas novas gerações o sentimento de Patriotismo, mostrando para nossas crianças e jovens que o Amor à Pátria está muito acima da hipocrisia e da maldade. Vamos enaltecer a consciência de uma cidadania mais plena.

 

Penso que seja até salutar uma Emissora de TV brasileira reprisar em pleno Domingo de Páscoa o jogo de futebol da Copa do Mundo de 2002 quando o time do Brasil venceu a Alemanha por 2 gols a ZERO. Porém, por que não reprisar no Segundo Domingo da Páscoa o jogo de futebol de 2014 no qual a Alemanha venceu o Brasil com históricos 7 Gols contra somente 1 Gol da nossa equipe? Patriotismo tem que ser livre de alienação.

 

Vamos ressuscitar em todos nós filhos de um País tão economicamente rico, mas tão moralmente miserável, a consciência de uma cidadania responsável. A Humanidade não é uma horda de gafanhotos, a oitava praga do Egito.

 

Com esta Pandemia aprendemos a ampliar o nosso olhar para com o próximo. Hoje manifestamos mais respeito e admiração para com nossos heróis sempre tão invisíveis, médicos, bombeiros, policiais rodoviários, psicólogos, fisioterapeutas, profissionais da UTI hospitalar, coletores de lixo, coveiros nos Cemitérios, profissionais diversos da área da saúde, porteiros de edifícios, motoristas de ambulâncias e de carros funerários, motoboys, etc. Serão lembrados no Natal de 2020 ou serão apenas uma vaga recordação aprisionada nos recôncavos da masmorra do esquecimento assim como fizemos com a derrota do Brasil para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014?

 

Nesta Páscoa vamos ressuscitar no seio da família o bendito costume de os pais abençoarem os filhos e de os filhos pedirem a benção aos pais. Já ressuscitamos nesta Pandemia o hábito da oração em família a ponto de nossas casas se tornarem verdadeira Igreja doméstica. Recebi inúmeras fotos de famílias reunidas na sala acompanhando a Missa pela TV.

 

E quantas obras de solidariedade nesta Semana Santa? “De que aproveitará, irmãos, a alguém dizer que tem Fé se não tiver obras? Acaso esta Fé poderá salvá-lo?” - (Carta de São Tiago 2,14).

 

Uma dezena de paroquianos foram em peregrinação ao Hemocentro do Hospital das Clínicas para doação de sangue. Uma dúzia de paroquianos da Pastoral de Rua foram na Sexta-feira da Paixão a Cracolândia na distribuição de Marmitex, potinhos com gelatina e latinhas de refrigerante, como também entregaram sabonetes, escovas de dente e creme dental. Dezenas de paroquianos atenderam o nosso apelo para a Doação de Alimentos para a Fazenda da Esperança localizada na Estrada do Taquaral, em Parelheiros. A Fazenda da Esperança trabalha na recuperação de dependentes químicos. Todo este trabalho pastoral fez de nós agentes da solidariedade mascarados, as faces cobertas por máscaras cirúrgicas e luvas nas mãos, respeitando sempre o distanciamento obrigatório e as leis de higienização, todos anônimos trabalhadores num Mundo que está em convalescença, mas cada pessoa aprendendo ser trabalhador de uma construção nossa, vivendo como se fôssemos ao mesmo tempo patrões como também operários.

 

Vamos ressuscitar no seio de nossa Igreja a preocupação com a questão Vocacional, porquanto sem Sacerdote não há Eucaristia e sem a Eucaristia são miseráveis as possibilidades de Salvação.

 

Vamos ressuscitar, minha Gente Iluminada, a Catequese de Adultos, na certeza de que se hoje muitos trocam a Igreja Católica por outras religiões é também porque não conhecem suficientemente nosso Cristianismo. Prova-se, pois, que não ficamos somente na Fé!

 

Enfim, vamos ressuscitar a ESPERANÇA no coração de todos, haja vista que ninguém consegue dar tudo ao HOJE se não consegue acreditar no AMANHÃ. Qual o insensato que, sem Esperança, ousa aventurar-se no Oceano deste novo Século, varrido pela indecência desta Epidemia e até por erupções do Vulcão Krakatoa na Indonésia?

 

Assim é a Vida: Um recomeçar contínuo mesmo quando tudo parece perdido.

 

Jesus Ressuscitou! Está em nossos corações, em nossas artérias, em nosso fluxo sanguíneo.

 

No centro do Discurso das Bem Aventuranças o próprio Jesus nos exorta: “Sejam Santos como o Pai do Céu é Santo.” - (Evangelho de Mateus 5,48).

 

Estudando a História dos grande Santos observo que eles se dividem em duas categorias, conforme o tipo de batalha espiritual empreendida por cada um. Me perdoem a audácia em distinguir os perfeitos dos integrados. Os perfeitos rejeitam tudo o que existe de diabólico neles. Conseguem encobri-los e rechaçá-los. São de alguma forma os Santos “impecáveis”, sem mancha e sem mácula em seus currículos, um tanto monótonos e, às vezes, me perdoem, sem um toque de ternuras. Recatados demais.

 

Eu TE pergunto: o que os Santos têm de mais sagrado? O coração? Os olhos? Os lábios? As mãos? Que nada!!!! São os pés! Por isto os antigos fiéis lhes beijavam os pés! Pois os Santos estáticos, esses que jamais andaram errando pelo Mundo, os próprios anjos desconfiam deles. Os outros Santos aceitam tudo o que neles existe, enfrentando, integrando e orientando a Vida para o Bem.

 

São Francisco de Assis é o grande Santo deste paradigma. O Chiquinho de Assis com certeza é quem melhor “integrou os aspectos negativos da existência humana.” Santos humanos demais como São Felipe Neri, São José de Cupertino, São José Cafasso, Santa Gema Galgani, Santa Madre Teresa de Calcutá, Santa Madre Paulina nos ensinam a suportar o sofrimento diante da perversidade do Mal, sofrimento às vezes intolerável, diante do qual as palavras deste Mundo são inúteis.

 

Isto, porém, nos permite uma visão diferente deste Mundo em convalescença, um Mundo que geme, à espera de sua Redenção, conforme o ensinamento de São Paulo, na expectativa de um futuro ainda envolto no Mistério.

 

Então, nesta Páscoa, mudemos os nossos paradigmas com relação a Santidade. Precisamos de Santos sem véu na cabeça ou batina negra no corpo. Precisamos de Santos de calça jeans e tênis. Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos. Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar e se empenham ao máximo nas matérias da Universidade para se tornarem profissionais extraordinários. Precisamos de Santos Modernos, Santos do Século XXI, que tenham tempo para rezar com uma espiritualidade inserida na realidade. Precisamos de Santos comprometidos com os pobres, que sejam agentes da solidariedade, que manifestem um amor apaixonado pela Eucaristia, pessoas sociáveis, sobrecarregadas de ternura e de autenticidade, gente normal, alegre, companheira. Gente de sorriso fácil!!!! Enfim, precisamos de Santos que estejam no Mundo; que saibam saborear as coisas puras e boas do Mundo, MAS que não sejam mundanos.

 

Então, VOCÊ, sim, VOCÊ é um(a) candidato(a) perfeito(a).

 

Feliz Páscoa!

 

A Palavra de Deus para hoje:

Carta aos Hebreus Capítulo 13, versículo 8.

 

 

Com minhas Preces e Benção

Padre Cláudio Dias.

 

Ressuscitou!.png