Paróquia Bom Jesus

PALAVRINHA CARINHOSA DO PÁROCO

Corpus Christi

 

 

Meus Queridos filhos e filhas espirituais da Paróquia Bom e deste Brasilzão guerreiro.

 

Junho! Junho nos traz o Inverno! Mês dedicado ao Sagrado Coração de Jesus e tempo solene em que se celebra a Solenidade de Corpus Christi, data instituída pelo Papa Urbano IV em 1264. Celebramos São José de Anchieta, Santo Antônio de Pádua, A Natividade de São João Batista, e enfim São Pedro e São Paulo.

 

A Solenidade de Corpus Christi, uma das mais importantes celebrações da nossa Igreja acontece sempre 60 dias depois do Domingo de Páscoa ou na quinta-feira seguinte ao Domingo da Santíssima Trindade, em alusão à Quinta-feira Santa, quando Jesus instituiu o Sacramento da Eucaristia.

 

Disse Jesus a Tomé: “Acreditastes porque me viste! Bem aventurados aqueles que acreditam sem ter visto!” JOÃO 20,29. Cercados, no definitivo com o Pai, como Tomé, dobrados os joelhos, proclamamos nossa Fé na Eucaristia: MEU SENHOR E MEU DEUS.

 

Suponho que o Milagre Eucarístico mais conhecido é o de Lanciano, Itália, em 750 quando um monge duvidou durante a Missa da presença real de Jesus no Sacramento da Eucaristia e a Hóstia transformou-se em Carne e o Vinho em Sangue.

 

Em Setembro de 1970 às relíquias foram levadas a laboratório. A Carne é verdadeiramente carne constituída pelo tecido muscular de um coração humano. O Sangue de natureza humana pertence ao grupo sanguíneo AB. Ambos, carne e sangue são iguais aos que fossem eventualmente extraídos, no mesmo dia, de um ser vivo.

 

Quando comungamos, comemos de verdade, sacramentalmente, uma Carne real e um Sangue vivo de Jesus, mas principalmente o coração que se dá a nós no Sacramento da Eucaristia.

 

Em Boxmeer, Holanda, em 1400 o padre Arnoulds Groen celebrava a Missa na Igreja de São Pedro e São Paulo e duvidou da Presença Real do Senhor no pão e no vinho consagrados. O vinho borbulhou dentro do cálice a ponto de se despejar para fora e se transformou em Sangue.

 

Em 1290, por causa da invasão dos lituanos, um sacerdote do vilarejo de Glotowo escondeu uma âmbula de prata no campo, na qual tinha uma Hóstia consagrada esquecida por distração. As tropas lituanas destruíram completamente o povoado e a Igreja, porém ninguém sabia da âmbula escondida. Depois de muitos anos, numa primavera, um camponês arava a terra com seus bois que frearam tão bruscamente como se petrificados. O camponês começou a escavar a terra que emitia uma luz intensa que envolveu os bois ajoelhados. Encontrou a Âmbula toda suja de terra e a Hóstia íntegra e branca como a neve. Hoje existe o Santuário de Glotowo com a Hóstia que se mantém intacta desde 1290. 

 

Em 1906 um Tsunami atingiu a Costa do Pacífico e causou grande destruição. Aconteceu um terremoto dia 31 de Janeiro de 1906, às dez horas da manhã, em Tumaco, pequena ilha que pertence à Colômbia. O padre Gerardo Larrondo consumiu as hóstias consagradas, conservando apenas a Hóstia Magna no ostensório e foi para a praia acompanhado da multidão em súplica. A imensa onda que ameaçava cobrir Tucamo, foi detida por uma força invisível, superior àquela da natureza e retrocedeu diante do Santíssimo Sacramento. Fantástico!

 

E temos uma História magnífica sobre uma mula que se prostra diante de Jesus Sacramentado nas mãos de Santo Antônio.

 

Neste  2020 celebramos 800 anos da vocação franciscana de Santo Antônio. Este moço nascido em Lisboa, Portugal, chamava-se Fernando Bulhões. Ingressou no Instituto dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, mas em 1220 tornou-se franciscano recebendo o hábito dos frades e o nome de Frei Antônio. Fez pregações na Itália e França. Teve morada última no Convento de Arcella, a um quilômetro de Pádua. Morreu jovem aos 36 de idade em 13 de junho de 1231 e foi canonizado em Pentecostes de 1232, apenas um ano após a morte, apoiado por uma grande popularidade. Estava ele, certo dia, em Toulouse, na França, combatendo os erros heréticos dos inimigos da Igreja Católica. Quando o longo debate acabou recaindo sobre o tema da Eucaristia, o herege propôs trazer a sua mula depois de três dias confinada no celeiro, sem alimentos, para reconhecer Jesus no Sacramento Eucarístico. Trato proposto! Trato aceito! Três dias depois não é que a mula, sem alimentos há três dias, ajoelhou-se em frente ao Santíssimo Sacramento no Ostensório nas mãos de Santo Antônio? Extraordinário, não?

 

Vamos pensar a Verdade! Não nos parece absurdo, meio que lendário estória para fazer o boi dormir este episódio de bois e mulas se ajoelhando diante do Santíssimo Sacramento? Isto porque a gente se agarra mais ao que NÃO nos agrada do que àquilo que é bom. No meu texto do fim da semana passada eu citei o ataque terrorista a New York e a queda do Muro de Berlim. O ataque ocorreu em 11/09 e a queda do Muro de Berlim em 09/11. Tenho certeza que você se lembra onde estava e o que fazia naquele ONZE de SETEMBRO de 2001, mas não se recorda do seu dia NOVE de NOVEMBRO de 1989. Isto porque o viés de negatividade foi muito mais importante para a sobrevivência humana no decorrer da História da Civilização.

 

De acordo com a Psicologia Evolutiva, infelizmente a gente pensa mais no negativo do que no positivo graças à sobrevivência de nossos ancestrais. A Ciência afirma, com todo o embasamento, que emoções positivas nos trazem inúmeros benefícios, que vão desde o fortalecimento da saúde física e da imunidade até a maior conexão com as pessoas e o estabelecimento de relacionamentos mais satisfatórios.

 

Então, não desista! Insista! Resista!

 

Para fortalecer nossas fraquezas, façamos uma Prece toda que especial nesta semana de Corpus Christi: “Senhor Deus, Pai das Misericórdias: Libertai-nos dos pecados mortais, esses frutos malditos de nossas paixões. Guarda-nos do pecado contra o Espírito Santo e arranca nosso coração da engrenagem da ilusão. Ensina-nos a resistir até o sangue em nossa luta contra o Mal. Abre nossos olhos para as armadilhas do Maligno que se disfarça de anjo de luz e nos atenta sob a aparência do Bem! Em Nome de Jesus, oh Pai Celestial,  dê às almas mais desgarradas a Graça do Espírito Santo para que sejam libertadas de sua cegueira!”

E enfim, cada um de nós faz a Prece da plena Humildade dirigindo-se a Jesus: “Jesus, Mestre, eu não tenho piolho! Me pega no colo! Me faz cafuné!” 

 

Palavra de Deus para esta data tão especial está no Evangelho de São João Capítulo 15, Versículos 12 ao 17.

 

 

Com minhas Preces e Benção Sacerdotal,

 

Padre Claudio Dias.